Vela: entenda mais sobre o esporte que promove o raciocínio e a autonomia das crianças

Um esporte que, além do exercício físico, proporciona ensinamentos de matemática, meteorologia, hidrografia, física, história, sustentabilidade, primeiros-socorros, meio ambiente, entre outros temas. Esta é a proposta da vela, atividade muita indicada para crianças em função das várias vertentes que oferece, como raciocínio lógico e autonomia, além do contato muito próximo com a natureza.

No Clube de Campo de São Paulo, onde a atividade é praticada nas águas da represa de Guarapiranga, as aulas podem ser frequentadas por crianças a partir dos 7 anos. “Inicialmente nós trabalhamos a parte lúdica e recreativa do esporte, muitas vezes para quebrar aquele medo inicial da água e tornar a atividade mais divertida para os pequenos”, detalhou o professor de Vela do Cube, Jacques Santos.

Após essa etapa, é iniciada a fase do aprendizado sobre como funciona o veleiro e quais os mecanismos que se deve utilizar em condições diversas na água. “Nesse momento, as crianças começam a perceber que é um esporte de aventura, que a vela é um meio de transporte onde só ela conduz, que depende dela enfrentar o evento e o que mais aparecer para se locomover”, completou Santos.

Autonomia e raciocínio

Com o domínio da embarcação na água, as crianças começam a desenvolver a autonomia e o raciocínio. Nesse momento, elas percebem a força da natureza e que podem surgir obstáculos pelo caminho, como o barco virar, o vento ser muito forte, mas que será necessário resolver esses problemas para seguir em frente.

“Trazendo isso para a realidade da vida, a criança começa a entender a importância de tomar decisões certas, bem pensadas, e de saber enfrentar esses obstáculos para alcançar seu objetivo”, comparou.

A resolução dessas questões se dá a partir de outras vertentes do esporte, segundo o professor. “A vela tem uma parte educacional muito forte, já que é preciso ter conhecimento sobre matemática, história e física, além de informações a respeito de hidrografia, primeiros-socorros e aerodinâmica”, acrescentou. Ele destaca ainda os ensinamentos sobre poluição, erosão, entre outros temas transversais importantes para o entendimento do esporte.

Saúde

Ainda segundo o professor, a vela, assim como outros esportes, também proporciona benefícios para a saúde, além de trabalhar a força, a flexibilidade, o equilíbrio e o condicionamento físico.

Você sabia?

-Por se tratar de um esporte aquático e de aventura, a segurança é redobrada para as crianças, que só entram na água com colete salva-vidas, sendo obrigatório o uso do item até os 18 anos de idade;
-A vela é um dos esportes mais democráticos, já que permite a realização de disputas entre meninos e meninas;
-O Clube de Campo oferece embarcação para as crianças que desejam participar das aulas de vela;
-Uma embarcação pode custar de R$ 3 a 20 mil, em média;
-Os competidores mirins disputam regatas nas categorias: Optimist (de 7 a 15 anos, com até 60 quilos), 420 (acima de 15 anos, sendo barcos para duas pessoas e três velas), 29 (barcos com maior velocidade) e laser (modelo mais clássico e comum no Brasil, utilizado nas disputas olímpicas).

 

Cipreste

Denominação popular: Cipreste
Denominação científica: Cupressus lusitanica
Classificação: Exótica
Família: Crupressaceae

Espécie perene que floresce de fevereiro a abril e dá frutos no outono e inverno.

Onde encontrar no Clube: Buracos 14 e 15 do Golfe

Jabuticaba

Denominação popular: Jabuticaba
Denominação científica: Plinia cauliflora
Classificação: Nativa
Família: Myrtaceae

A temporada da frutinha no pé começa a partir de setembro. Ela é consumida in natura, mas tem muitos subprodutos. Por isso, inclusive, a jabuticabeira é muito cultivada em pomares domésticos. Floresce duas vezes por ano.

Onde encontrar no Clube: Buraco 16 do Golfe

Uva japonesa

Denominação popular: Uva Japonesa
Denominação científica: Hovenia dulcis
Classificação: Exótica
Família: Rhamnaceae

Hovenia dulcis é também conhecida como uva-do-japão, tripa-de-galinha, cajueiro-japonês, entre outros nomes populares. Floração entre outubro e dezembro.

Onde encontrar no Clube: Buraco 16 do Golfe

Jaqueira

Denominação popular: Jaqueira
Denominação científica: Artocarpus heterophyllus
Classificação: Exótica
Família: Moraceae

A floração ocorre entre os meses de novembro e dezembro. Os frutos amadurecem mais abundantemente nos meses do abril-maio.

Onde encontrar no Clube: Buraco 16 do Golfe

Nossas trilhas

Qual sua trilha favorita?

Caminhar entre as árvores, ao ar livre, faz toda a diferença, por isso, nossas 24 passaram por uma manutenção mais efetiva ao longo dos últimos meses para torná-las ainda mais convidativas e seguras.

As trilhas também foram renomeadas a partir das espécies de animais encontradas no nosso paraíso em meio à Mata Atlântica e agora estão expostas em um mapa, que pode ser consultado em nosso site e ao longo do percurso.

Elas foram devidamente identificadas com placas a fim de facilitar o acesso aos trajetos. Desta forma, a fauna é valorizada e orienta os sócios que desejam percorrer as trilhas, inclusive aqueles que ainda não conhecem bem essas áreas.

Nossas árvores

Mapear, catalogar e apresentar aos associados as inúmeras espécies de árvores que temos em nossa área é a nova ação do Clube de Campo de São Paulo para valorizar ainda mais a rica flora encontrada em nosso paraíso.

Até o momento já foram identificadas as principais árvores localizadas no entorno dos campos de golfe e que agora podem ser consultadas em nosso site.

O primeiro passo foi fazer a identificação das principais espécies. Em seguida foram instaladas anilhas nas árvores com placas de identificação e disponibilizados QR Codes para que todos possam acessar direta e instantaneamente, pelo celular, a página do clube com as informações sobre as espécies.

Pau Brasil

Denominação popular: Pau brasil
Denominação científica: Paubrasilia echinata
Classificação: Nativa
Família: Fabaceae

A floração acontece entre dezembro e maio

Onde encontrar no Clube: Buraco 4 do Golfe

Araucária

Denominação popular: Araucária
Denominação científica: Araucaria angustifolia
Classificação: Nativa
Família: Araucariaceae

A floração acontece entre agosto e janeiro

Onde encontrar no Clube: Buraco 13 do Golfe

Eucalipto

Denominação popular: Eucalipto
Denominação científica: Eucalyptus
Classificação: Exótica
Família: Myrtaceae

A floração acontece entre março e setembro.

Onde encontrar no Clube: Buraco 13 do Golfe

Novo acesso para sócios

Em nosso site (www.clubedecampodesp.com.br), temos um novo espaço de acesso para os sócios no “Meu Clube”. Mais facilidade e modernidade aos nossos associados.

Agora é possível conferir o extrato financeiro e gerar a 2ª via de boleto. Além disso, é possível reservar os alojamentos do Clube (Sede Campestre, Trenzinho e Novos Apartamentos). Também será possível divulgar e conferir as Casas e Apartamentos dos associados que desejarem alugar ou vender. Com muito orgulho lançamos também nosso acervo da memória digital. Fotos, arquivos e vídeos da história do Clube, na palma da sua mão. Aproveite esse período de quarentena para matar a saudade. Afinal, relembrar é viver!

A outra boa notícia é que a senha agora é única, ou seja, o acesso será com o número de título e a senha da comanda eletrônica.

Esperamos que sua experiência seja cada vez melhor.

Acesse e confira!

Atividades ao ar livre aumentam a sensação de bem-estar e melhoram a qualidade do sono

Contato com a natureza também reduz crises de ansiedade em adultos e crianças

A prática de alguma atividade física tem sido a principal opção de muitas pessoas que buscam saúde e qualidade de vida em meio à rotina atribulada que se vive em grandes centro urbanos como São Paulo. O que muitos não sabem é que o contato com a natureza e o desenvolvimento de atividades ao ar livre, desde uma simples caminhada até esportes mais complexos, como vela, hipismo, golfe e tênis, potencializam os benefícios que os exercício físicos proporcionam ao corpo e à mente, seja para adultos ou para crianças.

Sensação de bem-estar e melhoria na qualidade do sono são alguns dos efeitos positivos que se conquista ao praticar atividades ao ar livre em espaços próximos da natureza como o Cube de Campo de São Paulo. Isso porque o corpo aumenta a produção de alguns hormônios ao receber raios solares, por exemplo. “Quando tomamos sol e temos contato com a natureza, produzimos mais serotonina, que é o hormônio que regula nosso humor, o sono e até o apetite, por isso a sensação de bem-estar é maior”, destacou o educador físico e supervisor de esportes do Clube, Marcos Roberto Silva do Prado.

De acordo com o especialista, ao praticar um esporte em locais abertos, é possível também aumentar o foco, a resistência e o ganho muscular, além de trabalhar com novos desafios. “Quando sai da rotina do exercício em academia, por exemplo, e encontra um ambiente aberto e exuberante como o do Clube de Campo, você aumenta o foco e percebe que é possível trabalhar só com o próprio o corpo, sem máquinas. E o desafio está em superar os efeitos da própria natureza, como fazer uma corrida enfrentando a força do vento. O rendimento aumenta e os resultados também”, detalhou.

Crianças
No caso das crianças, a atividade ao livre é recomendada para proporcionar um desenvolvimento global mais completo. “Na primeira infância é preciso brincar e desenvolver atividades em meio à natureza, e isso tem sido deixado de lado em função do contato excessivo com telas e tecnologias”, destaca o pediatra neonatologista Fabiano Fonseca. Segundo ele, brincar e se exercitar ao ar livre ajuda no desenvolvimento cognitivo, das habilidades motoras e também da saúde física.

Entre os benefícios para os pequenos estão a manutenção do peso e do nível do colesterol adequados para idade e o aumento na produção da melatonina, hormônio que regula o sono. “Hoje já está provado que a criança que assiste a muita televisão e vê, principalmente, imagens com a cor azul apresenta a diminuição da melatonina, então ela acaba dormindo menos”, explicou o médico.

Mente
Tanto para adultos quanto para crianças, os benefícios da atividade ao ar livre para a mente são unanimidade entre os dois profissionais. “Ao estar em contato com a natureza realizamos atividades coletivas, nos desconectamos, fazemos novos amigos e socializamos mais”, enfatizou o educador físico. “Uma criança que brinca e se exercita ao ar livre sofre menos com ansiedade e reduz o risco de desenvolver depressão, uma vez que melhora a saúde mental como um todo e equilibra os neurotransmissores. Isso vale para os adolescentes e adultos também”, finalizou o pediatra.

Clínicas de férias

Iniciar esportes durante a infância é essencial para incentivar a vontade das crianças em praticar atividades físicas. Além disso, as modalidades ajudam no desenvolvimento mental e físico! Por isso todas as férias, janeiro e julho, o Clube faz clínicas de férias para crianças e adultos e com isso uma nova possibilidade de iniciar um novo esporte para preencher o tempo e aprender ou aprimorar uma nova atividade!

Durante todo o mês foram mais de foram 253 participantes nas diversas modalidades nas clínicas de beach tennis, futebol, tênis, golfe, equitação, volteio, vela e bike. Também foram propostas atividades lúdicas, gincanas, brincadeiras monitoradas e acantonamento que fizeram a alegria das crianças neste mês de julho!

A clínica de bike, foi realizada pela segunda vez no Clube, e tinha como objetivo ensinar as crianças a andarem sem rodinha ou aprimorarem sua técnica na bicicleta. Junto com as demais atividades de férias, foi um sucesso.

Suinã

Denominação popular: Suinã
Denominação científica: Erythrina verna
Classificação: Nativa
Família: Fabaceae

A floração acontece entre julho e agosto.

Onde encontrar no Clube: Buraco 10 do Golfe

Pau ferro

Denominação popular: Pau ferro
Denominação científica: Libidibia ferrea
Classificação: Nativa
Família: Fabaceae

A floração acontece entre novembro e fevereiro.

Onde encontrar no Clube: Buracos 3,4,5,8 e 9 do Golfe

Angelim amargoso

Denominação popular: Angelim amargoso
Denominação científica: Vatairea sp
Classificação: Nativa
Família: Leguminosae

A floração acontece entre outubro e novembro.

Onde encontrar no Clube: Buracos 4,5,7,9 e 10 do Golfe

Pinus elliottii

Denominação popular: Pinus elliottii
Denominação científica: Pinus elliottii
Classificação: Exótica
Família: Pinaceae

A resina extraída é usada principalmente em dois subprodutos: breu (parte sólida) e terebintina (parte líquida), que são usados na fabricação de 25% dos produtos de mercado (verniz, perfume, goma de mascar, tinta, etc.)

Onde encontrar no Clube: Buracos 3,4,5,6,7,8 e 9 do Golfe

Pinus patula

Denominação popular: Pinus patula
Denominação científica: Pinus patula
Classificação: Exótica
Família: Pinaceae

Muito utilizada no paisagismo pela sua fórmula globosa e características ornamentais notáveis.

Onde encontrar no Clube: Buracos 4 e 5 do Golfe

Pinus taeda

Denominação popular: Pinus taeda
Denominação científica: Pinus taeda
Classificação: Exótica
Família: Pinaceae

Madeira muito utilizada para construção de barcos e dormentes.

Onde encontrar no Clube: Buracos 7 e 9 do Golfe

Quaresmeira

Denominação popular: Quaresmeira
Denominação científica: Tibouchina granulosa
Classificação: Nativa
Família: Melastomataceae

A floração acontece duas vezes por ano, sendo elas no outono e na primavera.

Onde encontrar no Clube: Buracos 3,4,5,7 e 9 do Golfe