O que é o salto?

O que é o Salto?

No Brasil, é a modalidade do “hipismo clássico” com maior número de praticantes, em especial no estado de São Paulo com o maior número de hípicas, haras, eventos e atletas federados. Regida pela FEI – Federação Equestre Internacional – a modalidade Salto consiste basicamente numa prova em que o conjunto (cavalo/cavaleiro) percorre um percurso entre 8 a 12 obstáculos diferentes e de variados graus de dificuldade, variando de 0.60 metro (em provas de Escolinhas de Equitação no Brasil) até 1.60 metro (em Grandes Prêmios, Jogos Olímpicos e Mundiais).

Origem
Os ingleses sempre gostaram de passeios, corridas a cavalo em campo aberto e a famosa caça à raposa. Na caça à raposa os cavaleiros eram acompanhados por cães, e perseguiam e capturavam a caça em campos abertos onde transpunham obstáculos naturais que surgiam em seu caminho.
Na segunda metade do século XIX eles resolveram criar um tipo de prova que reproduzisse as caçadas, mas que fossem realizadas em um recinto fechado e menor que os campos abertos da Inglaterra. Então foram criados obstáculos que reproduziam aqueles encontrados durante as caçadas. Aí se originaram as provas de salto que hoje são realizadas em pistas abertas ou pistas cobertas. Com o passar do tempo o esporte foi evoluindo, as regras se aperfeiçoando e criadas categorias para cavaleiros e amazonas conforme sua idade e grau de preparo técnico, exigindo do conjunto, musculatura, flexibilidade e técnica apurada para transpor obstáculos.
Como todos os esportes, as técnicas evoluem e se modernizam. Inicialmente os cavaleiros saltavam com o corpo na vertical e para traz tendo como ponto de equilíbrio a boca do cavalo através das rédeas e as pernas. No final do Século XIX o capitão italiano Frederico Caprilli inovou a técnica de saltar, deixando a cabeça e o pescoço do cavalo livres, procurando não interferir no equilíbrio natural do cavalo durante a trajetória do salto. Mudou a posição do cavaleiro na sela, o cavaleiro com os estribos mais curtos, o corpo levemente inclinado para frente e seguindo, durante a trajetória do salto, a mesma direção do corpo do cavalo liberando seu lombo.

O Salto no Brasil
Pioneiro entre os esportes hípicos a serem praticados no País, o Salto teve sua primeira competição em abril de 1641 quando da realização do “Torneio de Cavalaria” em Maurícea, hoje a cidade de Recife, Pernambuco.
Depois desta iniciativa, passaram-se 222 anos até o início da oficialização dos esportes equestres clássicos no Brasil que se deu em 1863 quando do nascimento da Escola de Equitação de São Cristóvão, no Rio de Janeiro (RJ) em uma iniciativa do capitão do exército, Luiz Jacomé de Abreu de Souza.
A primeira participação de cavaleiros brasileiros no exterior foi em 1942 no Chile. Um salto maior para o esporte foi dado em 1948 quando o Brasil mandou uma equipe para as Olimpíadas de Londres, Inglaterra.
Hoje a prática já está disseminada por todo o Brasil, com atletas federados desde o Amazonas até o Rio Grande do Sul. No Brasil, grandes nomes despontam como José Roberto Reynoso, Artemus Almeida, Marcos Ribeiro Junior (sócio do Clube de Campo) e Vitor Teixeira, e internacionalmente nomes como Pedro Veniss, Cassio Rivetti, Luciana Diniz (naturalizada portuguesa), Pedro Muylaert e Yuri Mansur têm subido ao pódio com frequência.

O Clube de Campo de São Paulo possui estrutura completa para a prática deste arrojado e dinâmico esporte, além de uma Escola completa para iniciação de futuros atletas de todas as idades. Consulte a nossa secretaria do Hípico.

A hípica do Clube de Campo

No auge dos seus 82 anos, o Clube de Campo de São Paulo é um dos melhores centros hípicos da capital paulista. Sua Vila Hípica completa conta com uma excelente estrutura para a prática das principais modalidades hípicas: salto, adestramento e volteio.

O Clube é o lugar ideal para prática destes esportes, aliando todas as condições para prática em alto desempenho e bem-estar dos animais. Conta com uma pista de salto de areia, uma de grama, picadeiro coberto, pista de adestramento, escola, e no meio dos seus 200.000 m2 de mata atlântica preservada, trilhas bem conservadas, e um visual único às margens da represa Guarapiranga.

Possui excelentes instalações veterinárias e uma equipe de enfermeiros disponíveis 24 horas que estão à disposição dos animais estabulados na Hípica, além de baias para observação, equipamentos para aplicação de medicamentos, materiais para procedimentos e outros serviços. A programação e realização de exames obrigatórios, vermifugação periódica dos animais e vacinas também estão sob a responsabilidade de nossa equipe. Também oferece estrutura completa de ferrageamento composta por profissionais especializados.

Este espaço dentro da cidade de São Paulo proporciona uma convivência familiar e social única, pois permite que cada um descubra sua aptidão nos variados esportes disponíveis além do hipismo: golfe, iatismo, tênis, corrida, trilhas de montain-bike, beach tênis e futebol.

O Clube também é o refúgio perfeito para um final de semana em meio ao silencio e contato com a natureza, com a praticidade e comodidade dos seus chalés e casas.
#meuclubedecampo

Meio século de história

50ª edição do Aberto do Clube de Campo de São Paulo acontece em outubro

O Clube de Campo de São Paulo se prepara para realizar uma nova e especial edição do seu Aberto Masculino, que desta vez tem um tom comemorativo: será a 50ª edição do evento, hoje bastante tradicional, iniciado então por um grupo de amigos apaixonados pelo golfe no final dos anos 1960.

O clube pretende reunir os principais amadores do País para o torneio a ser realizado em 19 e 20 de outubro, com treino no dia 18. Pelos resultados dos últimos anos, há expectativa de que os juvenis também tenham grande destaque em 2019. O Aberto Masculino é o torneio mais importante do clube em toda a temporada. Atualmente, é disputado apenas por amadores, com participação de jogadores principalmente do estado de São Paulo, mas a ideia é que, para os próximos anos e com o auxílio de patrocinadores, a competição inclua profissionais e os talentos amadores da América do Sul, de modo que passe a ser válido para o ranking mundial amador.

O sócio Roberto Guilger, que soma mais de 50 anos de atuação no clube, lembra que o Aberto Masculino registra muitos pontos altos ao longo de sua história, já tendo registrado a participação especial de nomes como Carlos Franco, Mario Gonzales, Jaime Gonzalez Filho e Rafael Navarro, entre outros. Ele ressalta ainda que os participantes do torneio gostam de jogar no CCSP especialmente pelo campo, a natureza e hospitalidade. “O clube tem uma energia diferente”, diz.

A área do campo soma 6.089 jardas, com 18 buracos. Considerado um dos principais campos do estado, sedia alguns torneios do calendário anual da CBGolfe e da FPG. Além do Aberto Masculino, organiza regularmente torneios internos, como a Taça Epson (masculino com hdcp até 15), Taça Augusto de Pádua Soares (masculino com hdcp acima de 15) e Taça Mabe (feminino sem limite de hdcp), sem contar o Aberto Feminino, que acontece a cada dois anos. Para completar, o clube sedia etapas do Interclubes Masculino com HDCP, do Brasil Kids (infanto-juvenil), do Brasil Golf Protour (profissional) e do torneio sênior da ABGS.

Green perfeito e sustentável

Parte mais nobre de um campo de golfe é seu “green”, cuja manutenção exige supervisão e cuidados constantes a cargo de nossos técnicos e colaboradores. Detalhes, como por exemplo, aparar o gramado à altura certa e no momento adequado deixam o campo mais resistente a ervas daninhas, doenças e pragas. Cerca de vinte colaboradores se ocupam desta função, sendo duas vezes por semana na área dos Tees (6mm), e diariamente nos Fairways (11m) e Greens (3 mm)

A irrigação e adubação, entre outras tantas, são funções igualmente relevantes para manter o “green” perfeito o ano inteiro. Desde o início de suas atividades como gestor do campo, Wesley Barbosa sempre se preocupou em poupar água e com isso, criar um campo na direção mais sustentável. Ele procura mapear setores com intuito de apurar se há ou não a necessidade de irrigar. “Tenho um equipamento que mede a umidade do solo, e é através dele que me norteio sobre onde e quantas vezes devemos irrigar”, comenta Wesley.

Tecnologia de ponta e técnicas modernas adotadas recentemente permitem exterminar ervas daninhas. Vale ressaltar o caráter sustentável desta prática, já que o equipamento elimina as plantas invasoras, sem causar dano ao solo e ao ambiente.

Nosso campo é reconhecido como um dos melhores do Brasil, e a preocupação para que se mantenha sempre em perfeitas condições.

Equilíbrio, força e flexibilidade : a trilogia do Volteio

Com a proximidade das férias de Julho, surge a velha dúvida do que fazer com as crianças e jovens durante 30 dias. E é aí que entram os cursos de férias e a possibilidade de iniciar um novo esporte para preencher o tempo e aprender uma nova atividade. O Volteio é uma delas. Uma das mais antigas modalidades eqüestres, durante a Idade Média, era utilizado como parte do treinamento de soldados para as batalhas, já que proporcionava grande equilíbrio e conivência com o cavalo, fatores extremamente necessários, uma vez que os soldados carregavam seus escudos e espadas nas mãos.

Modalidade equestre de técnica e equilíbrio, consiste na realização de acrobacias sobre o cavalo em movimento. A prática proporciona ao aluno sincronia e ressonância com o animal, que resulta em uma vivência motora completa e diferenciada, estabelecendo um elo confiança mútuo. Equilíbrio, força e flexibilidade muscular, coordenação motora, ritmo estão entre os muitos benefícios físicos e psíquicos que o Volteio proporciona. É uma arte e base para outras modalidades ao alcance de crianças e adultos.

As aulas duram em média uma hora e incluem aquecimento e condicionamento físico, exercícios acrobáticos no solo, exercícios educativos no barril execução dos exercícios no cavalo.

No Brasil, São Paulo é o grande polo da modalidade formando atletas e com realização de competições nacionais e internacionais.

Onde praticar?

No Centro Hípico do Clube de Campo de São Paulo é possível praticar o Volteio, aos sábados e domingos a partir das 9h. Em julho haverá uma clinica de férias de 23 a 26/07, para crianças a partir de 03 anos, mediante inscrição prévia. Para mais informações, contate hipico@ccsp.org.br ou (11) 5923 5892.

Endereço: Praça Rockford 28 – Vila Represa, São Paulo-SP, 04826-410 (próximo ao Autódromo de Interlagos)

Reintrodução de animais silvestres à vida livre no Clube de Campo

Cada um dos animais possui um papel importante para o equilibro da natureza. Poucos sabem, mas abrigamos uma das maiores biodiversidades de fauna silvestre na cidade de São Paulo.

Há anos o Clube colabora com um projeto de reintrodução de animais à vida livre na natureza. O trabalho de levar de volta, ao seu hábitat natural, animais que foram apreendidos ou feridos tem uma complexidade técnica importante, e passa a ser um instrumento de conservação da biodiversidade e do ambiente que está recebendo o animal.

Os animais são cuidados, tratados e, quando estão aptos para voltar a viver livremente, são trazidos pelo DEPAVE 3 (Divisão Técnica de Medicina Veterinária e Manejo da Fauna Silvestre da Prefeitura Municipal de São Paulo) em caixas apropriadas para transporte, e soltos no Clube, nos locais compatíveis com cada espécie trazida, com todo o suporte profissional e legal exigidos.

Desde 1996, mais de 1.700 animais foram reintroduzidos à vida livre no ambiente preservado do Clube. Foram mais de 1.500 aves, 70 mamíferos e 30 répteis.

Working Day Off

A importância das dinâmicas em grupo

Uma prática muito importante hoje em dia e que algumas empresas adotam para desenvolverem suas equipes é a de tirar os funcionários de suas rotinas de trabalho e os levarem a vivências em grupos. O objetivo desta prática é de unir o grupo, perceber como os colaboradores agem em situações e questões incomuns em seu dia a dia e buscar soluções diferentes.

Quais os benefícios de aplicá-las fora do ambiente de trabalho?

De acordo com Laura de Siqueira, psicóloga e coach, essas dinâmicas podem ser aplicadas em todas as áreas da empresa, desde o mais alto executivo, para desenvolver lideranças, despertando nele habilidades importantes para exercer sua função, até em equipes visando um objetivo em comum, trazendo ao líder certa clareza sobre as características comportamentais dos diferentes colaboradores. O que faz com que ele consiga traçar estratégias para os desafios que devem enfrentar. Elas podem ser usadas em outras ocasiões, como para descontrair e
desinibir os colaboradores, motivar e promover uma boa relação entre todos os membros do grupo e promover
eficiência no dia a dia.
E não precisa sempre ser aplicada em ambientes fechados, corporativos. Se executadas em contato com a natureza, ajudam a relaxar, a fazer com que o funcionário se sinta mais à vontade. E se inseridas durante a prática de um esporte coletivo, realçam o espírito de competição saudável dos participantes.

Novo blog

O Clube de Campo de São Paulo conta com mais uma ferramenta de comunicação, que será usado para divulgação de matérias sobre nosso paraíso.

Será um espaço para relembrarmos algumas histórias e eventos, assim como informações relevantes aos associados.
Contamos com a colaboração de todos através de comentários.